Mudança sem bagunça


É muito bom mudar de ares, mas tem quem se desanime só de imaginar a mudança. Assusta um pouco pensar em tudo que precisamos transportar de um lugar para o outro, todos os detalhes que não podem passar despercebidos, em todos os prazos e todos os custos. Sem dúvida, fazer uma mudança não é uma tarefa simples, no entanto, a bagunça, o estresse e as dores de cabeça podem ser evitados com algumas dicas simples.

O primeiro passo é planejar cada etapa da mudança, desde o momento em que começarão a ser separados os primeiros itens até a organização da casa nova. Procure definir prazos, calcular o tempo necessário para cada etapa e projetar custos. Por exemplo: se for contratar uma empresa de mudança, peça orçamentos, negocie, tire dúvidas sobre o método de trabalho e fique atento para os dias e os horários permitidos para mudanças no condomínio, tanto de origem quanto de destino. 

Para facilitar, coloque todas as tarefas numa planilha, com datas, tempo de execução, custos e observações. Para quem não é fã de planilhas, a sugestão é escrever uma lista. Listas e planilhas também poderão ser úteis para fazer um inventário de móveis e objetos, selecionando o que vai para casa nova, o que será doado, o que pode ser vendido e o que será descartado. Mas lembre-se de seguir as regras de descarte para cada item, conforme a legislação de sua cidade.

Uma dica de ouro para quem vai se mudar são as caixas de papelão. Se não quiser gastar, procure o supermercado mais próximo. Muitos ficarão aliviados de se livrar das caixas vazias e os formatos serão dos mais diversos. Perfeito para organizar objetos de diferentes tipos e tamanhos! Importante também usar todas as malas, bolsas e sacolas da casa, especialmente para acomodar as roupas, travesseiros e itens de uso pessoal. Se não quiser descartar algum produto da geladeira, uma bolsa térmica pode ajudar. Além disso, separe bolsas para o que precisa ficar a mão: documentos, dinheiro, chaves, carregador de celular, escova e pasta de dente, etc... 

O conteúdo das caixas, malas, bolsas e sacolas devem ser identificados com caneta e/ou etiquetas, incluindo um destaque especial para objetos frágeis, como vidros, porcelanas e eletrodomésticos, ou que contenham líquidos. Para proteger esses conteúdos, embrulhe com plástico bolha, jornais, toalhas e cobertores. Procure preencher os espaços vazios nas caixas para evitar que os objetos fiquem batendo uns nos outros e não coloque muito peso dentro de uma única caixa. Depois de acomodar tudo, feche as caixas com fita adesiva, incluindo as laterais e a parte de baixo. E o mais importante: não tente fazer tudo sozinho. Se não tiver auxílio profissional, chame os amigos e a família para dar uma força.